Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Administração Pública > Mais de cinco mil moradias do MCMV foram entregues simultaneamente em todo o país

Mais de cinco mil moradias do MCMV foram entregues simultaneamente em todo o país

por publicado: 02/07/2014 21h00 última modificação: 30/07/2015 17h52

Famílias que recebem salários de até R$ 1,6 mil receberam hoje mais de cinco mil moradias do Minha Casa, Minha Vida (MCMV3). A cerimônia de entrega simultânea foi transmitida, ao vivo, pela TV NBR para todo o país e contou com a presença da presidenta Dilma Rousseff, em Brasília, e de ministros de Estado que entregaram a chave da casa própria para contemplados em Belford Roxo (RJ), Betim (MG), Curitiba (PR), Duque de Caxias (RJ), Governador Valadares (MG), Jequié (BA), Joinville (SC), Juazeiro do Norte (CE) e Santo André (SP).

“A casa própria é muito mais que um conjunto de tijolos. É também um patrimônio para a família”, observou a presidenta Dilma Rousseff, ao lembrar da importância da preservação das moradias que foram entregues nesta quinta-feira (02/07) aos beneficiários.

Em Santo André (SP), a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, oficializou a entrega de 380 unidades do MCMV. As obras tiveram o investimento de R$ 24,7 milhões do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) do governo federal e R$ 7,6 milhões do governo do estado de São Paulo.

Segundo a ministra, a prioridade era realocar as famílias que moravam em áreas de risco para uma moradia segura. “Esse já era um plano antigo da prefeitura, tirar as famílias de áreas de risco mas, agora, com o Minha Casa, Minha Vida, conseguimos acelerar esse procedimento”, observou. Vânia Serafim foi uma das contempladas pelo MCMV, após morar 18 anos em áreas de risco (antigo lixão) em Santo André. 

Miriam Belchior brincou ao ressaltar que as moradias entregues em Santo André “têm varandas e essas famílias vão poder pendurar a bandeira do Brasil para comemorar a Copa das Copas”. Em todo o estado de São Paulo, lembrou a ministra, “temos quase 308 mil famílias morando orgulhosamente na sua casa própria”.

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Ideli Salvatti, pegou o gancho da brincadeira da ministra Miriam e completou: “Aqui não tem varanda, mas tem churrasqueira”, disse Salvatti ao entregar 320 moradias em Joinville (SC). A presidenta Dilma Rousseff não se contentou e também quis participar da brincadeira entre as ministras: “E aqui no Paranoá tem espaço”, comentou sobre o residencial com mais de 600 moradias entregues em Brasília.

Em Betim (MG), 474 unidades habitacionais foram entregues. Já em Belford Roxo (RJ), a ministra do Desenvolvimento, Tereza Campelo, e o prefeito da cidade, Adenildo Santos, entregaram outras 500 moradias. “Nós não temos varanda, mas temos quadra esportiva”, ressaltou Campelo. Em Juazeiro do Norte (CE), o prefeito Domingos Gomes, ressaltou a área de lazer para as crianças que as 713 moradias entregues na região proporciona. O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, também esteve presente no Ceará e pontuou que 800 trabalhadores foram responsáveis pela construção dessas casas.

Em governador Valadares (MG), a prefeita Elisa Costa, entregou 653 moradias do Loteamento Vitória, no bairro Tiradentes. Já na Bahia, em Jequié, a prefeita Tânia Britto anunciou a entrega de 600 moradias dos residenciais Jardins da Cachoeira II e IV. "Já foram entregues mais de 4 mil unidades habitacionais e, até o final de 2015, mais de 2 mil famílias serão beneficiadas", adiantou a prefeita. O ministro da Secretaria de Portos, César Borges, também participou da entrega de casas em Jequié e elogiou a infraestrutura do empreendimento.

Por fim, o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, entregou 464 moradias do residencial Paranoá Parque. “Nós vamos ter creche, escola e parquinho. Esse projeto foi premiado como o melhor projeto urbanístico do país”, disse o governador. Ao todo, são 112 creches em construção no Distrito Federal. 

Para finalizar a cerimônia de entrega de mais de cinco mil casas do MCMV, a presidenta Dilma Rousseff ressaltou a importância do programa. “O Brasil que nós queremos é aquele em que o filho do pedreiro pode ser doutor e que uma faxineira pode ter uma casa própria”, enalteceu.