Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Administração Pública > Presidenta Dilma empossa novos ministros

Presidenta Dilma empossa novos ministros

por publicado: 31/03/2014 21h00 última modificação: 30/07/2015 17h51

Ricardo Berzoini assume a Secretaria de Relações Institucionais. Ideli Salvatti substitui Maria do Rosário na Secretaria de Direitos Humanos

A presidenta Dilma Rousseff empossou, nesta terça-feira (1), os novos ministros da Secretarias de Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Ideli Salvatti. A cerimônia foi realizada no Palácio do Planalto.

Ricardo Berzoini assumiu a Secretaria de Relações Institucionais, até então ocupada por Ideli Salvatti, que deixou a pasta para comandar a Secretaria de Direitos Humanos. A ex-ministra, Maria do Rosário, deixou o governo para concorrer às eleições de outubro.

A nomeação de Ricardo Berzoini e Ideli Salvatti, bem como o desligamento de Maria do Rosário foram publicados na edição desta terça-feira (1º) do Diário Oficial da União.


Cerimônia

Em seu discurso, Dilma enalteceu a luta de Maria do Rosário e Ideli Salvatti pela construção de uma sociedade igualitária e com oportunidades para todos os cidadãos, independente das suas especificidades.

"Agradeço a Maria do Rosário pelo seu trabalho e dedicação nesses 39 meses a frente da Secretaria de Direitos Humanos", afirmou. "Ideli terá que dar continuidade a programas de grande relevância", completou a presidenta.

Sobre Ideli, Dilma disse que "a experiência a frente da Secretaria de Relações Institucionais habilita a Ideli a nos ajudar a garantir mais conquistas e avanços nas áreas de direitos humanos". Durante a presença da ministra na SRI, foram aprovados a criação da Comissão Nacional da Verdade e a Lei de Acesso a Informação.

Ainda sobre a ministra, a presidenta lembrou que Ideli exerceu "atividades associadas ao compromisso nacional com envelhecimento ativo, prevenção e combate à exploração sexual de crianças e adolescentes".

Em relação ao novo ministro Ricardo Berzoini, Dilma citou seus passado como militante e sindicalista e elogiou suas capacidades como bom negociador político.

De acordo com a presidenta, "Berzoini compreende as características do presidencialismo, marcadas pela colisão entre correntes distintas, mas que sabem se unir pelo interesse da população".

Dilma aproveitou a cerimônia para elogiar a aprovação do Marco Civil da Internet pela Câmara dos Deputados e mencionou que acredita na sua aprovação pelo Senado Federal. "Nosso marco civil será a ferramenta da privacidade, liberdade de expressão, que servirá, ao ser aprovada pelo Senado, de referencia dos debates que ocorreram no Net mundial", disse.


Confira os perfis dos ministros


Ideli Salvatti

Formada em física pela Universidade Federal do Paraná, Ideli Salvatti foi a primeira mulher eleita senadora por Santa Catarina, em 2002. Ela passou a ser líder da bancada petista no Senado a partir de 2006 e, em 2009, líder do governo no Congresso.

Dos 21 projetos de lei e três emendas à Constituição apresentados, entre 2003 e 2008, Ideli teve seu primeiro projeto transformado em Lei em 2005: a chamada Lei do Parto, que garante às gestantes o direito a escolher um acompanhante para a hora do parto.

Presidente da Comissão Mista sobre Mudanças Climáticas desde 2009, ela é titular nas comissões de Constituição e Justiça e de Infra-Estrutura, e é suplente em mais três: Educação, Assuntos Sociais, e Assuntos Econômicos.

Antes do Senado, cumpriu dois mandatos na Câmara dos Deputados (de 1994-1998 e 1999-2002).

Iniciou sua militância em Joinville, nas Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), Pastoral Operária, Associações de Moradores e no Centro de Defesa dos Direitos Humanos, entidade da qual foi fundadora e presidente.

Em 1980, foi fundadora do Partido dos Trabalhadores em Joinville e no Estado de Santa Catarina, fazendo parte do Diretório e da Executiva. Foi professora de 1983 até 1994. Em 1987, foi eleita presidente da Associação dos Licenciados em Santa Catarina (ALISC).

Foi presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação - SINTE/SC por dois mandatos, em 1989 e em 1992, quando já vivia em Florianópolis. Foi uma das fundadoras da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SC), sendo tesoureira na gestão 1988-1991.


Ricardo Berzoini

Ricardo Berzoini iniciou sua militância em 1985, como delegado sindical de base no Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região. Em 1988, foi eleito para a diretoria presidida por Gilmar Carneiro, como Secretário de Imprensa e Comunicação.

Em 1989, foi eleito presidente do Departamento Nacional dos Bancários da CUT. Em 1991, tornou-se Secretário Geral do Sindicato e, em 1992, participou da fundação da CNB-CUT, hoje Contraf, sendo o primeiro presidente da entidade.

Em 1994, foi eleito presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, sendo reeleito em 1997. Em 1998, foi eleito Deputado Federal, pelo PT de São Paulo. Desde 1995, integra o Diretório Nacional do PT. Presidiu o Diretório Municipal do PT, em São Paulo, de 1999 a 2001, quando Marta Suplicy foi eleita prefeita.

Em 2002, foi reeleito deputado.Com a posse de Lula na Presidência da República, em 2003, assumiu o Ministério da Previdência Social. Na reforma ministerial de 2004 foi nomeado por Lula como ministro do Trabalho e Emprego (MTE).

Chefiou por duas vezes a delegação brasileira à Conferência da Organização Internacional do Trabalho, em Genebra e Representou o Ministério do Trabalho e Emprego no Conselho de Administração do BNDES.

Em julho de 2005, deixou o ministério para assumir a secretaria geral do PT e em outubro foi eleito presidente nacional do partido. Em 2006, se reelegeu deputado. Em 2007, foi reeleito presidente nacional do PT para ocupar o cargo até fevereiro de 2010.

Em 2010, foi reeleito deputado e, em 2011, coordenou a Reforma Estatutária do PT, aprovada pelo IV Congresso do partido. Em 2012, assumiu a presidência da CCJC, Comissão de Constituição, de Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados.


Fonte: Portal Brasil com informações do Blog do Planalto e da Imprensa Nacional