Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2019 > 12 > Vozes do Natal, um presente para o Ministério da Economia

Notícias

Vozes do Natal, um presente para o Ministério da Economia

Para envolver os servidores no clima natalino, o coral interpretará Vinde, Cristãos, Vinde à Porfia, Feliz Navidad, Jingle Bell Rock e Lindo Natal.
por publicado: 10/12/2019 17h40 última modificação: 10/12/2019 17h40

O Coral do Ministério da Economia Ministério da Economia (ME) fará uma Cantata de Natal nesta quinta-feira, 12/12, em quatro prédios da pasta, começando pelo anexo do Bloco P da Esplanada, às 14h, e depois segue para a sede da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN). Na sequência, o Coral irá para os Órgãos Centrais e finalizará a apresentação às 16h30 no Anexo do Bloco F. Para envolver o Ministério no clima de Natal, o Coral interpretará Vinde, Cristãos, Vinde à Porfia, melodia tradicional francesa, além de Feliz Navidad, Jingle Bell Rock e Lindo Natal.

Idealizado em 2018 ainda no Ministério da Fazenda, o Coral da Economia nasceu em fevereiro de 2019, agregando as vozes dos servidores dos órgãos que se integraram para formar o Ministério da Economia. O Coral do ME tem 45 coristas. O grupo é regido pela Maestrina Isabella Sekeff, que é laureada na arte de reger coros e trabalha em parceria com o músico Alfredo Ericeira, e conta com o apoio institucional da Unacon Sindical e Sindifazenda.

Além do encantamento para quem assiste, as apresentações do coral se transformaram em um momento de descontração e integração dos servidores. A corista Laira Vanessa traduz um pouco do sentimento de quem canta no grupo: “ em junho, quando participei pela primeira vez, estava meio descrente de poder cantar, pois não cantava nem no chuveiro. A simpatia, paciência e leveza da Isabela e a beleza do cantar junto com os colegas, mudaram a minha percepção! Hoje me pego cantando sem mais nem porquê...me apaixonei pelo canto coral! Dia de coral é dia de alegria! ”. Quem ouve acaba se apaixonando. Ver o grupo é certeza de ouvir boa música e sair do cotidiano do trabalho para celebrar, seja na festa junina, na homenagem às mulheres ou para entrar no clima de Natal.