Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2019 > 09 > Ministério da Economia debate as novas regras para compras públicas por pregão eletrônico

Notícias

Ministério da Economia debate as novas regras para compras públicas por pregão eletrônico

Gestão

Regulamento entra em vigor em 28 de outubro, alterando modalidade utilizada em mais de 99% das compras do governo
por publicado: 25/09/2019 14h48 última modificação: 25/09/2019 17h48

O Decreto 10.024/2019, que aprimora as regras do pregão eletrônico para a aquisição de bens e serviços no âmbito da Administração Pública Federal, foi objeto de um amplo debate promovido pelo Ministério da Economia.

Em workshop realizado na última terça-feira (24/9), foram apresentadas e discutidas as 25 principais inovações trazidas pelo decreto – procedimentos, sistema de dispensa eletrônica, regras de transição, entre outros aspectos. Estiveram presentes ao debate servidores, pregoeiros e equipes que trabalham na área de aquisições e logística de órgãos públicos.

O regulamento entra em vigor no dia 28 de outubro. As novas regras valem para órgãos, entidades e fornecedores participantes das licitações.

O normativo é de grande importância para as compras públicas, uma vez que o pregão na modalidade eletrônica foi utilizado pelo governo federal em 99,71% das licitações realizadas no ano passado.

Para o secretário de Gestão do Ministério da Economia, Cristiano Heckert, a realização de milhares de licitações ao longo dos últimos 14 anos (desde a implantação do pregão eletrônico por meio do Decreto 5.450/2005) trouxe aprendizado coletivo que se reflete na atualização normativa.

“A nova norma vem com dois grandes objetivos: consolidar esta modalidade de licitação, que já é amplamente utilizada na União, nos estados e municípios; e nos aproximar da Nova Lei de Licitações – dentro dos limites permitidos pela atual legislação –, que teve seu texto base aprovado na Câmara dos Deputados no final de junho”, explicou o secretário.

Entre as principais inovações do decreto está a obrigatoriedade de que estados e municípios que recebem recursos das transferências voluntárias da União utilizem o pregão eletrônico; e para que a contratação de serviços comuns de Engenharia seja feita por meio dessa modalidade.

Além disso, modifica os modos de disputa e envio de lances (modo aberto e aberto e fechado), adota o sistema de cotação eletrônica para todos os casos de dispensa – trazendo vantagem especial em dispensas emergenciais – e o envio antecipado dos documentos de habilitação. 

Assista aqui a íntegra do evento e conheça outras inovações: