Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > Políticas Públicas > Convênio de cooperação apoia projetos de pesquisa científica no Brasil

Convênio de cooperação apoia projetos de pesquisa científica no Brasil

por publicado: 18/12/2013 21h00 última modificação: 24/07/2015 15h49

Acordo, que envolve o MiniCom e o Ministério da Ciência e Tecnologia, terá recursos da ordem de R$ 98 milhões

Os ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e das Comunicações (MiniCom) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de São Paulo (Fapesp) assinaram convênio de cooperação para apoiar projetos de pesquisa científica e tecnológica que contribuam para o desenvolvimento da internet no Brasil.

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, lembrou que tanto o governo federal quanto o de São Paulo estão empenhados em universalizar o acesso à internet, ressaltando que apenas 45% dos domicílios brasileiros contam com internet, enquanto mais de 90% têm TV, telefone ou rádio.

“E há desigualdade no acesso entre regiões e mesmo numa mesma cidade. É preciso desenvolver tecnologias como fibra óptica, radiodifusão e satélites. Esse convênio de cooperação aponta numa boa direção, ao estimular pesquisas em áreas de alta demanda”, destacou, observando que “é preciso reforçar e desenvolver estruturas para diminuir as desigualdades de acesso”.

Para Bernardo, o convênio é fundamental para um País com a dimensão do Brasil. “Ainda precisamos estimular e desenvolver muito as diversas tecnologias para levar internet a muitos lugares carentes de acesso”, afirmou, lembrando que “é preciso desenvolver estruturas para diminuir as desigualdades de acesso”.

O estado de São Paulo contará com 47% dos R$ 98 milhões para apoiar projetos de pesquisas. Poderão apresentar propostas pesquisadores de instituições de ensino superior e de pesquisa e de pequenas empresas de base tecnológica (com menos de 100 empregados) de todo o País.

O convênio prevê o desenvolvimento de projetos em seis linhas de investigação: Tecnologia Viabilizadora da Internet; Aplicações Avançadas da Internet; Comunicação em Rede e Cultura Digital; Políticas Relativas à Internet; Software Livre; Formatos e Padrões Abertos; e Aplicações Sociais de Tecnologia da Informação e Comunicação.

Fonte: Ministério das Comunicações