Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2015 > Cursos e Capacitações > Nosso orgulho é ver que um aluno do Pronatec pode transformar sua realidade

Nosso orgulho é ver que um aluno do Pronatec pode transformar sua realidade

por publicado: 02/10/2013 21h00 última modificação: 24/07/2015 16h14

A pedagoga Pollyana Araújo relata a satisfação de trabalhar no programa do governo federal que muda a vida de milhões de brasileiros

Mais de 4,5 mil alunos do Pronatec, no Rio Grande do Norte, chegaram à satisfação da formatura nessa quarta-feira (02). Receberam o diploma, com direito a presença da presidenta Dilma Rousseff. Alguns até já saíram com emprego garantido. Uma alegria compartilhada também com os professores, e especialmente com a coordenadora dos cursos técnicos do campus do IFRN no município de João Câmara (RN), Pollyana Araújo.

Aos 30 anos, a pedagoga potiguar começou no Pronatec como professora, há dois anos. Por se tratar de um programa inédito no país, um dos desafios que ela encarou foi o de tentar entender: quem era o público que a esperava? Qual a idade dos alunos? Por quais experiências eles já passaram em salas de aula? Como será o aprendizado para cada nova turma?

“Quando a gente chegou, encontramos pessoas que tinham rotina de ensino médio, mas também havia alunos que estavam há 10 anos sem estudar. Como trabalhar com uma turma tão heterogênea?  Eles tinham dificuldades porque não viam essas perspectivas. Não percebiam a educação como forma de transformação da sua realidade”, lembrou Pollyana.

No entanto, ela se surpreendeu de maneira positiva ao perceber a força de vontade dos estudantes. Eles entenderam, na visão dela, o quanto que o Pronatec poderia, a partir daquele momento, ser uma porta de entrada para o mercado de trabalho. O objetivo de Pollyana, desde o início das aulas, era fazer com que a equipe pedagógica, os professores e a coordenação trabalhassem no sentido de mostrar que o conhecimento é o que ninguém pode tirar deles.

“O Pronatec na região de João Câmara veio como uma oportunidade de ingresso no mercado de trabalho. Percebemos que os nossos alunos que terminaram o Pronatec querem voltar, querem se qualificar. Eles estão o tempo todo tentando entrar no mercado de trabalho. Nosso orgulho é ver um aluno que saiu do Pronatec fazendo outro curso técnico. Fazendo um curso sequente, percebendo que ele pode transformar sua realidade”, comentou.

Só contando os alunos de João Câmara, Pollyana viu a formatura de novos eletricistas, vendedores, recreadores, operadores de computador e manipuladores de alimentos. A partir da tarde desta quarta, eles e os outros 4,5 mil estudantes se tornaram profissionais qualificados. Algo que deixa uma sensação de dever cumprido, principalmente por ter sido um desafio vencido pela coordenadora.

“Não vou dizer que é fácil. Ao contrário, é um desafio. Temos que estar o tempo todo se superando, melhorando a prática de ensino, tentando interagir com nosso aluno, porque o conhecimento é construído a partir da troca de experiências. Você precisa saber quem é esse aluno. Eles estão sempre nos ajudando a melhorar, a fazer o nosso melhor”, analisou.

Além do IFRN, os cursos do Pronatec foram ofertados pela UFRN, através da Escola de Enfermagem de Natal (EEN) e da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ); e pelas entidades do Sistema S (Senac; Senat; Senai e Senar).